Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

womanyzing

"What is done in love is done well " Vicent Van Gogh

womanyzing

"What is done in love is done well " Vicent Van Gogh

Qui | 03.11.16

Era uma vez uma ida ao cabeleireiro!

womanyzing

Acho que são poucas as mulheres que não gostam de ir ao cabeleireiro, quer seja porque é sinónimo de tratarmos de nós próprias, quer seja porque é sitio ideal para nos sentirmos mimadas e de onde saímos com uma auto-estima mais elevada. Isto é o que é suposto acontecer, mas a mim aconteceu-me algo tão inédito que fiquei com mais aversão de ir ao cabeleireiro do que de ir ao dentista, e não, não estou a exagerar.

Um belo dia, estava eu naqueles dias que todas passamos, a sentir-me menos bonita, o cabelo já não tinha aquele jeito do qual eu gosto e para variar, como são daquelas decisões tomadas de cabeça quente, a minha cabeleireira não estava disponível. Como queria mesmo, naquele dia, naquela hora ir cortar o cabelo, decidi experimentar um sitio novo...

Posso dizer-vos que nunca me senti tão humilhada na minha vida... Sou uma pessoa que gosto de cuidar e cuido de mim, até tenho um blogue onde por acaso dou digas de beleza, e como tal sei perfeitamente os cuidados que devemos ter, por isso mesmo, fiquei tão perplexa com o que ouvi que fiquei com raiva de mim própria por não ter respondido.

Entro no cabeleireiro, perguntam-me o que vou fazer, digo que é para cortar as pontas porque terminou o Verão e queria cortar o cabelo para tirar as pontas que estão mais estragadas e ficar com o cabelo mais saudável. A senhora que me cortou o cabelo,( nem me dirijo a ela como cabeleireira porque uma profissional não tece comentários deste género), pega no meu cabelo para lavar e diz:  "Ai que horror, que cabelo tão seco". Fiquei sem reacção, é normal o cabelo estar mais seco, porque além de ser pintado, depois da praia fica sempre mais danificado. A senhora continua e pergunta "não costuma usar mascara?", ao que eu respondo que além da mascara, costumo usar sérum para as pontas e ela termina a conversa com um "ninguém diria"!

Juro que pensei sair não tivesse eu o cabelo, mas pensei já que ali estava, corto as pontas e vou embora. Naquele "cabeleireiro", trabalham duas senhoras, a que me estava a atender pergunta-me novamente se era para cortar as pontas, eu disse que sim mas que se fosse necessário retirar mais um pouco que estivesse estragada não havia problema. Quando a outra senhora ouve a minha resposta apronta-se a dizer " se vai cortar tudo o que está estragado sai daqui com um Chanel", de notar que eu tenho um cabelo bastante comprido.

Conclusão, um grande pesadelo, nem sequei o cabelo e saí de lá muito pior que entrei. Certo que estamos habituadas ao conselhos das cabeleireiras mas isto é de um péssimo profissionalismo. Eu fiquei chateada naquele dia mas depois passou-me, mas e se fosse um pessoa com problemas sérios de auto-estima? Ou que não tivesse dinheiro para andar a comprar  mascaras para o cabelo? Se estou a pagar é para um serviço bem feito e se só sabem dizer asneiras mais vale estarem caladas. É nestas alturas que penso que um preservativo teria evitado muita coisa...

 

cortando cabelo.jpg