Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

womanyzing

"What is done in love is done well " Vicent Van Gogh

womanyzing

"What is done in love is done well " Vicent Van Gogh

Dom | 13.05.18

Ainda sobre o Festival Eurovisão da Canção!

womanyzing

No dia em que deixar de poder escrever aqui, tudo aquilo que me passa pela cabeça, deixarei de escrever! O que me motiva  a manter este blogue ativo é poder partilhar com aqueles que acompanham o meu trabalho, as minhas opiniões.

Quem me segue por aqui, sabe que não defino as pessoas pela sua aparência, no entanto, este blogue prima e irá sempre primar pela boa disposição, pelo sentido de humor e quem não o percebe, aconselho a não segui-lo!

Do post que escrevi anteriormente, a  maioria das criticas que recebi foi ao facto de ter comparado a cantora Netta à Popota, o que quanto a mim é bastante elogioso, tendo em conta que a Popota é uma das minhas personagens favoritas. Foi uma analogia, bastante apreciada por muitos, e muito mal interpretada por outros, que com a sua interpretação tiraram conclusões erradas sobre a minha conduta enquanto pessoa.

Essa opinião, muito sinceramente, a mim não me aquece nem me arrefece, mas infelizmente a minha personalidade não me permite passar por cima de comentários totalmente descabidos, sem que a mim, me seja dado o direito de resposta.

Para quem me considera "fútil" ou "racista" aconselho a ler algumas das coisas que escrevi, se quiserem, se não deixem de vir aqui, porque não fazem falta alguma. Podem concordar com a minha opinião, ou não, isso é um direito que vos assiste, mas não me podem julgar, enquanto pessoa sem antes me conhecerem!

Um dos comentários que mais me deixa intrigada é o facto de referirem que a música da Netta tem uma mensagem feminista, como tal, ao apelidá-la de Popota estou a atacar as mulheres e não estou a ser feminista. Se ser feminista é rebaixar os homens para enaltecer as mulheres, então de facto eu não sou feminista. 

Se ser feminista é não poder criticar alguém só porque é mulher... então não sou de facto feminista!

Informem-se antes de dizerem "baboseiras", porque com comentários destes andam as verdadeiras feministas, aquelas que lutaram para que hoje eu possa estar aqui a escrever, a dar voltas no túmulo!

Reposta a verdade, deixo desde já o aviso, para as mentes mais sensíveis que por aqui passam, que não continuem a ler este post, pois vamos falar de look's e não vou dizer apenas coisas simpáticas!

catarina preto.png

catarina vermelho.png

 

Começamos pelo pior, e vamos acabar em bom! Catarina Furtado, uma mulher muito bonita, com um corpo de fazer inveja (eu incluída), mas com opções que não a favoreceram. O vestido preto é "too much" pernas. Não havia necessidade de mostrar tanto. 

Quanto ao vestido vermelho, parecia daqueles vestidos que encontramos na loja do chinês e que achamos a coisa mais "brega" do mundo! Nada de bom para dizer... Dois vestidos do criador português Nuno Baltazar.

 

daniela.png

daniela 2.png

 

Daniela Ruah, não gostei do primeiro vestido  (João Rolo) pois achei que lhe fazia um corpo desproporcional, com umas costas demasiado largas comparadas com a cintura. Esta é a prova de como a roupa altera totalmente o nosso corpo. A Daniela tem um corpo bastante escultural do qual tirou todo o partido com o segundo vestido! O segundo vestido (M. Alves Gonçalves) ficava muito bem, estava muito elegante. 

silvia dois.png

silvia.png

 Sílvia Alberto, adoro a Sílvia, acho uma mulher muito bonita e cheia de classe. Adorei os vestidos que escolheu para a apresentação da gala, bem como a makeup e o cabelo. 

silvia dois.png

 Filomena Cautela, a minha favorita de todas. A sua irreverência fez-se notar na escolha dos vestidos (não podia ser de outra forma). Estava cheia de estilo, cheia dela própria e brilhou com os dois vestidos (M. Alves Gonçalves) que escolheu para aquela noite. Well done Filomena!