Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

womanyzing

womanyzing

Ansiedade!

Acho que no geral, em determinados momentos da nossa vida, já todos sofremos com ansiedade. Uns mais que outros, mas são poucas as pessoas que têm o "dom" de não se sentirem demasiado ansiosas.

Esse é decididamente um "dom" que não tenho, infelizmente. Somos muito mais felizes se não sofrermos por antecipação, senão levarmos a vida demasiado a sério, sempre preocupados em "prever" situações que nos possam trazer algum transtorno à nossa vida.

Não me lembro de não ser ansiosa, aliás só quando estive para nascer que resolvi ficar mais tempo na barriga da minha mãe é que não fui ansiosa, porque em tudo o resto... bem já nasceu comigo.

Acho que esta ansiedade também se deve um pouco à minha falta de paciência, que mais uma vez, esgotei nos nove meses e uns dias que esperei para nascer. Não tenho paciência para esperar, gosto que aconteça tudo como eu quero e quando quero, não tenho paciência para pessoas que não percebem o que digo à primeira, e isto é totalmente estúpido da minha parte, porque se a pessoa não percebe posso ser eu que simplesmente não me expressei bem.

Não tenho paciência para não saber, irrita-me estar numa conversa em que não percebo do que estão a falar, detesto não saber todos os caminhos para todo o lado, detesto começar a aprender porque isso significa que não domino de todo o assunto.

Tudo isto gera uma ansiedade, que só quem sofre a sério com estes problemas me consegue compreender. Noites mal dormidas, falta de concentração, agitação de tal forma que não conseguimos estar parados no mesmo sítio, e o maior de todos os sintomas, o "medo"!

Medo de errar, medo de falhar, medo de me enganar no caminho, tudo se transforma em medo, até que deixamos de fazer a nossa vida com medo! É preciso ajuda, ajuda de um especialista, mas acima de tudo ajuda dos nossos! A família e os amigos são muito importantes, mas acima de tudo temos de ser nós a ultrapassar estes medos, que na realidade não passam de inseguranças que o nosso cérebro dá uma importância astronómica.

Não deixei de ser ansiosa, nem creio que vá deixar de ser algum dia, mas desenvolvi estratégias para não levar a vida tão a sério. A principal é fazermos algo que realmente gostamos, seja aquilo que for, eu escrevo, vou caminhar algo que me ajudou numa fase mais complicada. No entanto o principal é falar, não guardem para vocês, há sempre alguém que vos vai compreender, há sempre alguém que já passou pelo mesmo!

Demorei um ano para conseguir escrever sobre isto, mas acho que é importante deixar o meu testemunho, porque existem tantas pessoas a passar por isto, que uma palavra de coragem é sempre uma luz no fundo túnel!

ansiedade.jpg